Como estimular nas crianças o hábito da leitura antes mesmo da alfabetização?

Como abordar a pandemia do coronavírus com as crianças?
8 de abril de 2020
Uso da tecnologia é essencial para o aprendizado dos alunos durante a quarentena
15 de abril de 2020

Ter acesso a livros, observar os pais lendo, ouvir histórias e participar de atividades na escola que despertam a curiosidade ajudam os pequenos a desenvolver o gosto pelos livros

Antes mesmo das crianças serem alfabetizadas, os pais e a escola podem estimular o gosto pela leitura, para que elas cultivem esse hábito desde a infância e se tornem futuros leitores. Para isso, é fundamental despertar a curiosidade dos pequenos por meio da contação de histórias, leituras compartilhadas e de vivências e exemplos relacionados à valorização da leitura.

“O prazer em conhecer esse mundo literário vem muito do que ela observa à sua volta. Se os pais leem com frequência, se há momentos voltados para a leitura, a criança percebe que é um hábito agradável e também vai desenvolvê-lo”, diz Ana Lucia Camargo Lima, coordenadora pedagógica da Escola Roberto Norio.

O estímulo pode começar já com os bebês, o que também favorece o desenvolvimento da linguagem. O adulto pode mostrar as imagens de um livro e interagir com a criança, contando do que se trata, e ela vai acompanhando com o olhar, reconhecendo e emitindo sinais de que está compreendendo.

Para os maiores, as formas de contar histórias e colocá-los em contato com os livros podem ser as mais diversas, como ler, criar uma narrativa própria ou inventá-la a partir de imagens de revista, de um quadro ou até mesmo de um objeto. “Não precisa haver, necessariamente, o suporte do livro. É possível, por exemplo, pegar três botões e dizer que eles são os Três Porquinhos”, explica a coordenadora.

Mesmo ainda não alfabetizadas, as crianças também podem “ler” sozinhas — vendo as figuras e, muitas vezes, imaginando histórias a partir delas. Uma situação bem comum é quando elas pedem para os pais contarem a mesma história diversas vezes. “A criança precisa dessa repetição porque está resolvendo questões pessoais por meio da apropriação da história”, observa a educadora.

Além do exemplo na família, um ambiente escolar que valoriza a leitura reforça a importância desse hábito para a criança. Na Roberto Norio, segundo Ana Lucia, os livros são muito presentes no dia a dia dos alunos. “Além da biblioteca, a escola tem muitos cantos de leitura e há livros disponíveis em vários locais, como nas salas de aula e pátio. As crianças também costumam trazer livros de casa para compartilhar com os colegas, e os professores sempre fazem atividades de contação de histórias”.

A coordenadora também chama a atenção para a questão da diversidade — os alunos têm acesso a diferentes tipos de livros, como livros de histórias ou livros para pesquisas, e em diferentes línguas, como português, inglês e japonês.

“Com tudo isso, a criança vai entendendo que, por meio da leitura, ela também conhece o mundo, aprende sobre muitos assuntos e descobre novas informações”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *