Responsabilidade e cooperação: como incentivar essas atitudes nas crianças?

Futebol ajuda a desenvolver habilidades socioemocionais nas crianças
26 de setembro de 2019
Professor tem papel central no desenvolvimento socioemocional dos alunos
18 de outubro de 2019

Colaborar com a realização de atividades em casa e na escola contribui para o desenvolvimento da autonomia e da autoestima e para a compreensão da vida social

É importante que, desde pequenas, as crianças sejam incentivadas a cooperar, tanto em casa como na escola. Guardar os brinquedos, cuidar do uniforme, arrumar o quarto e ajudar os professores a organizar os materiais são alguns exemplos.

“Essas atividades geram autonomia, autoconfiança e senso de responsabilidade. Também auxiliam na conscientização das crianças sobre a importância da solidariedade e do viver coletivamente e as capacitam a escolher seus próprios caminhos”, diz Tamires Narumi Sakoda, professora do Jardim II e do 3o ano do Ensino Fundamental da Escola Roberto Norio.

Tamires conta que as atividades que estimulam a cooperação fazem parte da rotina da escola e começam desde o acolhimento, no momento da entrada, no qual as crianças já sabem onde deixar as mochilas e colocar as agendas. “Em ambientes diversos, como a quadra e os cantos pedagógicos — espaços em que a criança escolhe brincar, como o canto de areia, o canto de jogos e o cantinho da leitura — também desenvolvemos práticas de trabalho coletivo, em que eles precisam se organizar como grupo para que o jogo flua da melhor maneira, ouvir as regras do jogo e esperar a sua vez”.

A professora destaca a importância da parceria entre professores e pais, por meio da Associação de Pais e Mestres (APM), o que contribui para gerar nas crianças as noções de responsabilidade e cooperação. “As crianças participam da tomada de decisões. O mascote da escola, por exemplo, foi escolhido por elas, que se sentem ouvidas e importantes.”

O envolvimento das crianças nas tarefas domésticas também deve ser incentivado pelos pais. “É uma maneira de entender a contribuição de cada pessoa para o bem comum — a casa arrumada, por exemplo — e de valorizar o trabalho dos outros”, afirma Tamires.

“As crianças que aprendem a importância da cooperação desde cedo se tornam jovens e adultos mais conscientes e capazes de se sensibilizarem com o próximo. Isso condiz com a competência 10 da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que fala em ser capaz de atuar na construção de uma sociedade mais justa e solidária”, lembra a professora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *