Como o pensamento crítico é construído?

Natação na infância ajuda no desenvolvimento da autonomia e de habilidades psicomotoras
15 de agosto de 2019
Formar laços: a importância das primeiras amizades na escola
27 de agosto de 2019

Capacidade de questionar e de encontrar soluções para problemas é essencial para formar alunos com mais autonomia e consciência

Mais do que ensinar conteúdos, a função da escola também é desenvolver nos alunos o pensamento crítico, para que possam participar ativamente da construção do seu conhecimento e se colocarem como sujeitos autônomos no mundo. E isso deve começar desde cedo, segundo Bárbara Yuka, coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental I da Escola Roberto Norio.

Para ela, um ponto fundamental é desenvolver nas crianças a capacidade de questionar — por exemplo, em relação ao grande volume de informações que recebemos todos os dias. “A escola deve orientar os alunos a selecionar as informações que chegam, filtrar o que é importante e saber pesquisar para reconhecer quando uma informação é falsa (fake news)”, diz.

Essa mesma postura deve estar presente também em sala de aula. “Antigamente, a escola passava informações, e o aluno não participava, ele era passivo nesse processo. Hoje em dia, os próprios professores querem que os alunos pensem no que está chegando para eles, sejam protagonistas da sua aprendizagem e, a partir disso, saibam defender o seu ponto de vista”.

Outra maneira de desenvolver o pensamento crítico, de acordo com ela, é estimular a criança a encontrar soluções para os problemas. Yuka dá como exemplo a construção de uma maquete sobre as regiões brasileiras, que os próprios alunos do Ensino Fundamental tiveram a ideia de fazer. “Em vez de a professora entregar o roteiro pronto ou falar quais elementos deveriam ter no projeto, ela foi perguntando para eles a importância da maquete, o que deve ser representado e como fazer isso”, conta. “Aí eles foram desenvolvendo soluções para representar o clima, a vegetação, a hidrografia, as diferenças populacionais. Eles se juntaram para pensar e cada grupo fez de um jeito.”

Yuka ressalta a importância de desenvolver nos alunos a capacidade de discernimento e de conhecer a realidade de maneira mais crítica, para que levem isso para a vida adulta. “Assim, eles vão construindo sua própria visão de mundo. Mas, para que isso aconteça, precisamos colocar as crianças para pensar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *