Classes pequenas permitem acompanhamento individualizado das crianças

Apoio dos pais é fundamental no processo de alfabetização
30 de abril de 2020
Estratégias para o ensino na quarentena vão além da tecnologia
25 de maio de 2020

Escola Roberto Norio trabalha em média com 12 alunos por turma; professor consegue ter olhar mais atento para estimular cada um de acordo com suas habilidades e dificuldades 

Classes pequenas e com poucos alunos, principalmente na Educação Infantil, permitem um acompanhamento mais individualizado das crianças, garantindo os estímulos necessários para o seu desenvolvimento integral. Também proporcionam maior segurança para os pequenos, que podem ser observados mais de perto pelos professores, além de facilitar a formação de laços afetivos com os colegas.

“Ter uma turma com um número reduzido de alunos nos dá a possibilidade de olharmos cada um com mais atenção. Mesmo considerando que os grupos são heterogêneos, conseguimos perceber as habilidades e dificuldades específicas de cada criança”, diz Bárbara Yuka, professora do Ensino Fundamental I da Escola Roberto Norio.

Ela conta que a escola tem como propósito trabalhar em média com 12 alunos por classe. Outras vantagens que ela observa são a maior facilidade para identificar eventuais atrasos e questões relacionadas ao desenvolvimento. “Nós, pedagogos, não podemos diagnosticar síndromes ou problemas de aprendizagem que alguns alunos possam apresentar. Porém, sempre que percebemos algo que esteja dificultando a aprendizagem ou quando a criança apresenta altas habilidades, conversamos com os responsáveis e orientamos a busca por um profissional especializado, como psicólogos, psicopedagogos, neurologistas e fonoaudiólogos.”

No caso de haver alunos com necessidades especiais, os grupos reduzidos também facilitam a inclusão, o trabalho e o acompanhamento dessas crianças que apresentam diagnósticos específicos. “Temos alguns alunos que apresentam altas habilidades e outros com déficit de aprendizagem. Em ambos os casos, a escola e a família trabalham em conjunto para que a criança possa se desenvolver sem dificuldades”, observa a educadora.

De acordo com ela, é comum terapeutas e profissionais da área da saúde acompanharem esses alunos, participando de algumas aulas, conversando com os professores e a coordenação. “O que se almeja é o desenvolvimento integral da criança e que ela alcance o máximo de seu potencial”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *