Futebol ajuda a desenvolver habilidades socioemocionais nas crianças

Reportagem da Rede Vida foca na importância de salas reduzidas para aprendizado
17 de setembro de 2019
Responsabilidade e cooperação: como incentivar essas atitudes nas crianças?
8 de outubro de 2019

Por meio da prática do esporte, alunos aprendem a tomar decisões, lidar com a vitória e a derrota e a se colocar no lugar do outro

A prática de qualquer esporte já traz uma série de benefícios para as pessoas, como condicionamento físico e maior disposição, o que contribui para o aumento da qualidade de vida. No entanto, os esportes coletivos apresentam, ainda, outras vantagens: ensinam a trabalhar em equipe, lidar com as diferenças e aceitar frustrações. No caso das crianças, também ajudam na interação e fortalecem o convívio social, trabalhando as relações de cooperação e oposição de maneira divertida.

“As atividades esportivas auxiliam no desenvolvimento físico-motor, intelectual, afetivo-emocional e social das crianças. Assim, além de desenvolverem os sistemas musculoesquelético e cardiorrespiratório, por exemplo, favorecem a tomada de decisão, a resolução de problemas e o controle de seus sentimentos”, diz Roberta Batista Bezerra, professora de futebol da Escola Roberto Norio.

Roberta conta que o esporte, disponível para todos os alunos do período integral, é trabalhado por meio de brincadeiras, atividades e jogos que buscam propiciar um ambiente agradável e lúdico de aprendizagem. “A ideia é utilizar o futebol como mais uma ferramenta de desenvolvimento da criança dentro da escola, despertando nela o gosto pela prática esportiva, para que se torne um adulto que tenha na atividade física um meio de obter saúde física e mental”.

Na Educação Infantil, são desenvolvidas algumas habilidades motoras básicas, como correr, saltar, se equilibrar e chutar, em atividades e brincadeiras como “toca do coelho” (correr) e salto sobre a corda com chute da bola em direção ao gol. No Ensino Fundamental, as habilidades motoras são acompanhadas dos fundamentos técnicos do futebol, e a cooperação se torna muito relevante. Brincadeiras como pega-pega com bola, “bobinho” e minijogos (1×1, 2×2 e 3×3) fazem parte das atividades desenvolvidas. “À medida que os anos passam, o fundamento ganha maior importância e, consequentemente, o jogo coletivo”, explica a professora.

Segundo ela, o ensino do futebol para as crianças ajuda a desenvolver habilidades socioemocionais, como ética, autoconhecimento, autonomia, confiança, responsabilidade, criatividade, paciência e autoestima. “Durante a aula, por exemplo, o aluno precisa de concentração e confiança para tomar decisões, utiliza a criatividade a seu favor na solução de problemas e convive com situações de sucesso e fracasso (vitória e derrota), que exigem autocontrole e autoconhecimento para se comportar e se relacionar com seus colegas”. Ela também destaca o trabalho com a empatia e a determinação. “As crianças aprendem a ter respeito em relação às regras do jogo e aos colegas e professor, a se colocar no lugar do outro quando ele não aprova alguma atitude e a ter persistência para tentar inúmeras vezes algo que ainda não consegue executar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *